LPF - Laboratório de Produtos Florestais - Banco de Dados Madeiras Brasileiras

 

Banco de dados de Madeiras Brasileiras

 

O Serviço Florestal Brasileiro (SFB) como órgão gestor das florestas públicas federais tem como missão conciliar o uso e a conservação das florestas, valorizando-as em benefício das gerações presentes e futuras. Dentre as suas atribuições, destaca-se a implementação das concessões florestais visando o uso de produtos madeireiros e não madeireiros de forma sustentável, controlada e monitorada pelo poder público. No âmbito do desenvolvimento da pesquisa tecnológica sobre os recursos e produtos florestais, o Serviço Florestal conta com o Laboratório de Produtos Florestais (LPF), um centro especializado em tecnologia da madeira e derivados, que atende tanto à demanda dos órgãos de governo quanto à demanda crescente de diversos setores da economia brasileira.

Nesse sentido, o LPF teve a incumbência de compor o conteúdo e sistematizar os dados e as informações deste banco de dados sobre as madeiras brasileiras, tendo sempre a preocupação de criar uma forma atraente, leve, prática e bastante didática e de fácil assimilação dos conhecimentos técnicos disponibilizados pelo sistema. O emprego da madeira, a partir de características e indicadores técnicos e do conhecimento de suas reais possibilidades de uso, proporcionará a correta aplicação e utilização desse valioso recurso natural agregando valor aos seus produtos.

O banco de dados Madeiras do Brasil é um importante subsídio e uma ferramenta essencial à disposição da indústria de base florestal, da comunidade acadêmica e da sociedade, proporcionando uma melhor divulgação das madeiras brasileiras no mercado nacional e internacional, facilitando a comercialização de espécies pouco conhecidas nestes mercados e contribuindo para ampliar o uso de um número maior de espécies florestais, em áreas de manejo florestal sustentável e assim, ajudar no desempenho econômico da atividade do manejo em áreas florestais no país.

Este banco de dados mostra com clareza que a cooperação entre a sociedade e o governo é profícua e pode ser melhor utilizada. Nesse caso, foi estruturada em articulação com as associações de indústrias de base florestal, que participaram na seleção das espécies e apoiaram a documentação fotográfica de árvores e toras de madeiras em diversas regiões do país. Temos consciência de que o aperfeiçoamento destes mecanismos de parceria, entre pesquisa e empresa, governo, sociedade e setor produtivo, propiciará o aprimoramento da qualidade do padrão econômico, social e ambiental no processo do desenvolvimento sustentável brasileiro.

 

Acessar Banco de dados de Madeiras Brasileiras

 

logo 47    itto  logo sfb

 

 


Comentários:

 Contração-de saturada a seca em estufa: É a mudança de volume da madeira verificada entre o ponto de saturação das fibras (geralmente 30%) até seco a 0% de teor de umidade, sendo:

  • Tangencial: contração na face tangencial aos anéis de crescimento da madeira.
  • Radial: contração na face radial aos anéis de crescimento da madeira.
  • Volumétrica: contração do volume total da madeira.
  • Contração Tangencial/Contração Radial: relação entre as contrações tangencial e radial da madeira, também conhecida como coeficiente de anisotropia. Importante na possiblidade de defeitos na secagem da madeira]

Nos dados de propriedades mecânicas as condições seca e verde referem-se a:

  • Seca: relação entre a massa e o volume da amostra, ambos secos e condicionados ao teor de umidade de equilíbrio de 12%.
  • Verde: relação entre a massa e o volume da amostra, ambos saturados em água.

Propriedades

 

Propriedades